Home
Alunos do Senac vivenciam processo logístico da Peixes da Amazônia

Alunos do Senac vivenciam processo logístico da Peixes da Amazônia

Imprimir
Para possibilitar aos alunos do curso Técnico em Logística a vivência da teoria discutida em ambiente educacional da sala de aula, com a prática profissional, o Senac, em parceria com o Instituto Federal do Acre (IFAC), realizou um projeto de visita técnica na indústria acreana Peixes da Amazônia e no Ponto de Fronteira Alfandegado na divisa Brasil-Peru.

No primeiro dia do projeto, os alunos visitaram o Complexo de Piscicultura Peixes da Amazônia S/A, localizada na zona rural do município de Senador Guiomard, às margens da BR-364, composto por três indústrias: Frigorífico de Processamento de Peixes, Fábrica de Ração e Centro de Produção de Alevinos. Acompanharam na prática como funciona o planejamento, organização e logística de transporte e desembaraço peixe produzido no estado para exportação utilizando a estrada do Pacífico como rota de negócios.

“Nossa noção quando iniciamos o curso técnico é que Logística aborda somente a área de transporte, mas não é apenas isso. Na verdade, são vários os procedimentos envolvidos. Esta atividade prática é muito importante, pois complementa os conhecimentos da sala de aula”, afirma o aluno Luciano Fanele.

No segundo dia, os alunos conheceram acompanharam a saída e o trajeto do caminhão com a carga da empresa Peixes da Amazônia, até o Ponto de Fronteira Alfandegado em Assis Brasil, a 342 km de Rio Branco, na fronteira do Brasil com o Peru, para conhecerem a sistemática de funcionamento da inspetoria da Secretaria da Receita Federal do Brasil que desenvolve ações de controle aduaneiro e fiscalização.

“Foi uma missão técnica, onde eles [os alunos] puderam ter uma visão mais ampla do que é a operação logística com foco no comércio exterior, além do que eles aprendem sobre controle de estoque, armazenamento, rotinas e transporte, numa uma experiência importante”, concluiu o orientador educacional, Rafael Pimpão.

A finalização do projeto ocorreu com a visita técnica à SUNAT (aduana peruana), na cidade de Iñapari, para acompanhar o processo de entrada e saída de mercadoria no país vizinho.